Oriente Médio

Nasrallah avisa que Israel pode ser “eliminado” na guerra entre EUA e Irã

Líder do Hezbollah diz que Teerã tem capacidade de “bombardear Israel com ferocidade e força”, afirma que o Hezbollah reforçou seu arsenal com mísseis de precisão que podem chegar a Eilat

O chefe do grupo terrorista Hezbollah alertou na sexta-feira que Israel seria arrastado para qualquer guerra entre os EUA e o Irã e que poderia ser “extinto” em tal conflito.

“O Irã é capaz de bombardear Israel com ferocidade e força”, disse Hassan Nasrallah em uma entrevista transmitida pela televisão Al-Manar, do Hezbollah.

“Quando os americanos entenderem que essa guerra pode acabar com Israel, eles vão reconsiderar”, disse Nasrallah.

Seus comentários ocorrem em meio a crescentes tensões entre EUA e Irã e poucas horas depois que a Câmara dos Representantes dos EUA votou pela restrição da capacidade do presidente dos EUA, Donald Trump, de atacar o Irã, expressando medo de que suas políticas agressivas estejam levando a uma guerra desnecessária.

Não ficou claro se Nasrallah estava se referindo ao arsenal de mísseis de longo alcance do Irã ou às dezenas de milhares de foguetes e mísseis que o Irã forneceu ao Hezbollah libanês.

Nesta foto, desde 5 de novembro de 2018, pelo Exército iraniano, um míssil Sayyad 2 é disparado pelo sistema de defesa aérea Talash durante perfurações em um local não revelado no Irã. (Exército iraniano via AP)

Mais cedo na entrevista Nasrallah disse que seu grupo apoiado pelo Irã melhorou significativamente suas capacidades militares desde a guerra de 2006 entre o Hezbollah e Israel.

“Nossas armas foram desenvolvidas tanto em qualidade quanto em quantidade, temos mísseis e drones de precisão”, disse ele na entrevista para marcar 13 anos da guerra.

Durante a entrevista Nasrallah realizou um mapa de Israel e apontou para alvos estratégicos, que ele disse que o Hezbollah poderia atingir, incluindo o Aeroporto Ben Gurion, depósitos de armas, usinas petroquímicas e de dessalinização de água e o porto de Ashdod.

Ele também afirmou que seus mísseis poderiam atingir a cidade de Eilat, no sul de Israel, no Mar Vermelho.

Nasrallah sugeriu que sua organização adquiriu mísseis antiaéreos, dizendo que prefere manter uma postura ambígua, acrescentando que o grupo terrorista libanês agora tem “capacidade ofensiva de mudar o jogo e armas”.

Israel há muito tempo alerta que o Hezbollah planeja tentar invadir o norte de Israel em qualquer guerra futura e recentemente descobriu vários túneis de ataque construídos nas profundezas de Israel, que deveriam permitir que seus combatentes entrassem em Israel.

Partidários do Hezbollah participam de uma manifestação para marcar o dia de al-Quds em Beirute, Líbano, em 31 de maio de 2019. (AP Photo / Hassan Ammar)

No entanto, Nasrallah disse que estava confiante de que não haveria uma guerra, porque Israel temia as conseqüências.

Ele também disse que os atores regionais estavam trabalhando para evitar uma guerra entre os EUA e o Irã. “Nossa responsabilidade coletiva na região é trabalhar para evitar uma guerra americana contra o Irã”, disse ele.

Ele disse que a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos não têm interesse em entrar em conflito.

Nas últimas semanas, os EUA enviaram milhares de soldados, um porta-aviões, bombardeiros nucleares B-52 e aviões de combate avançados ao Oriente Médio, e teme-se o conflito mais amplo depois dos misteriosos ataques de petroleiros perto do Estreito de Ormuz. sobre o Irã, ataques de rebeldes apoiados pelo Irã no Iêmen na Arábia Saudita e a queda do avião militar norte-americano pelo Irã.

O USS Abraham Lincoln navega para o sul no canal de Suez perto de Ismailia em direção ao Golfo Pérsico, 9 de maio de 2019. (Autoridade do Canal de Suez via AP)

O Irã começou recentemente a superar os limites de enriquecimento de urânio estabelecidos em seu acordo nuclear de 2015 com as potências mundiais em resposta à decisão de Trump de retirar os EUA do acordo um ano atrás.

Os EUA também re-impuseram duras sanções às exportações de petróleo de Teerã, exacerbando uma crise econômica que fez sua moeda cair em queda livre.

Nasrallah também disse que o grupo recentemente começou a retirar seus combatentes que apoiavam o regime de Damasco na vizinha Síria devastada pela guerra.

“Estamos presentes em todas as áreas que costumávamos ser. Ainda estamos lá, mas não precisamos estar lá em grande número, desde que não haja necessidade prática ”, disse ele.

O chefe do movimento xiita apoiado pelo Irã, que luta na Síria desde 2013, não quantificou a extensão da redução.

Um veículo blindado do Hezbollah fica no local onde ocorreram confrontos entre o Hezbollah e combatentes ligados à al-Qaeda em Wadi al-Kheil ou no Vale Al-Kheil, na fronteira Líbano-Síria, em 29 de julho de 2017. (AP Photo / Bilal Hussein)

Apoiado pela Rússia e pelo Irã, o governo de Damasco retomou grandes áreas de rebeldes e jihadistas desde 2015, e agora controla cerca de 60% do país.

Nasrallah disse que nenhum de seus combatentes estava envolvido em combates na região de Idlib, noroeste da Síria, onde o regime e as forças russas aumentaram o bombardeio mortal em um bastião jihadista desde o final de abril.

Ele falou depois que Washington anunciou novas sanções contra o Hezbollah na terça-feira, visando a eleição de autoridades do movimento pela primeira vez.

“Todas as negociações com o arquivo da Síria não têm nada a ver com as sanções ou a austeridade financeira”, disse ele.

O Hezbollah é considerado uma organização terrorista pelos Estados Unidos e é a única facção que não se desarmou após a guerra civil libanesa de 1975-1990.

Mas também é um importante ator político no pequeno país do Mediterrâneo, ocupando 13 cadeiras no parlamento no ano passado e assegurando três cargos no atual gabinete.

2 Replies to “Nasrallah avisa que Israel pode ser “eliminado” na guerra entre EUA e Irã

  1. É muito bom que o Hesbollah fique bastante convencido de sua capacidade de guerra.”No muito falar não falta transgressão”(Pv 10.19a).Muito convencidos que estão,vão cometer erros.”A soberba precede a ruína”(Pv 16.18a).

  2. “A soberba precede a ruína,e a altivez do espírito,a queda”(Pv 16.18).
    Nas guerras do passado,os muçulmanos,armados até os dentes pelos russos,estavam certos de uma esmagadora vitória e perderam vergonhosamente cinco guerras iniciadas por eles.
    Agora falam com soberba novamente dizendo que vão riscar Israel do mapa,que depois de iniciada a guerra,o Estado de Israel deixará de existir em 30 minutos,etc.Que venham!
    Se o Hesbollah demonstrar ser tão poderoso assim como se autoapregoa,Israel lança logo uma bomba nuclear na casa dele e …pronto!Problema resolvido no norte!
    De uma coisa é certa:os tambores da guerra estão rufando e os exércitos islâmicos estão um animando o outro a começar a guerra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *