Conflitos

Escaramuça na fronteira com Gaza: um militante foi morto, o IDF atacou as posições do Hamas

No domingo de manhã, 11 de agosto, na parte norte da fronteira com a Faixa de Gaza, um militante armado se aproximou da cerca da fronteira e abriu fogo contra o pessoal militar. Em resposta, o fogo terrorista foi aberto.

Segundo os militares, o atirador foi ferido ou morto.

Logo depois, os tanques IDF dispararam contra as posições dos militantes do Hamas em Gaza.

Não há vítimas no lado israelense.

A IDF enfatiza que não houve ameaças aos moradores das aldeias próximas à fronteira de Gaza.

Agência Safa , que tem um escritório em Gaza, relata que ao leste de Beit Hanoun pelo exército israelense foi morto a tiros por um homem armado. Também é relatado que os moradores da parte norte do setor já ouviram pelo menos sete explosões.

O Hamas “Centro de Informações Palestino” chama o nome do militante assassinado: Marouan Khalid Nasser, 26, de Beit Hanoun. Safa publica uma foto, a julgar pelo qual um combatente do Hamas foi baleado.

Israel responsabiliza o Hamas por quaisquer ataques armados de Gaza, uma vez que esta organização controla o setor desde o verão de 2007.

Lembre-se que na noite de 10 de agosto os soldados da IDF eliminaram quatro militantes na fronteira de Gaza. Quando eles foram encontrados fuzis de assalto Kalashnikov, granadas e um lançador de granadas anti-tanque manual. Fontes palestinas disseram que três em cada quatro palestinos mortos foram “militantes do Hamas responsáveis ​​por impedir intrusões em Israel”. Então esta informação foi refutada por um funcionário palestino que afirmou que os quatro militantes deixaram as fileiras do Hamas e se juntaram à organização Salafi.

O serviço de imprensa IDF disse que, como resultado das ações dos militares, um grande ataque terrorista foi impedido. A mídia árabe escreveu que os militares israelenses aparentemente impediram o seqüestro de israelenses por militantes. Notou-se que a célula dos terroristas salafistas de Dir al-Balah foi neutralizada.

O Hamas comentou com muito cuidado este incidente. O porta-voz do Hamas, Abdel Latif al-Canua, chamou os militantes mortos de “representantes da juventude palestina irritada com as ações da ocupação israelense”. Ao mesmo tempo, notou-se que estamos falando de militantes que agiram “por iniciativa própria e não pertenciam a nenhum dos grupos”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *