Mundo

Gibraltar libera petroleiro iraniano após garantias de que petróleo bruto não irá para a Síria

A Suprema Corte de Gibraltar decidiu liberar o petroleiro iraniano “Grace 1”, que estava no Rock desde 4 de julho, depois de receber as autoridades iranianas do Irã, a garantia de que o petróleo bruto que transporta não será desembarcado na Síria. . 

Em um comunicado, o principal ministro de Gibraltar, Fabian Picardo, relatou a liberação do petroleiro e garantiu que havia evidências de que, no momento de sua prisão, o “Grace 1” estava carregando sua carga de 2,1 milhões. barris de petróleo, de propriedade da Companhia Nacional de Petróleo do Irã, para a refinaria de Baniyas, na Síria. 

Isso implicaria infringir as sanções impostas pela União Européia à Síria pela repressão exercida pelo regime do presidente sírio Bashar al Assad contra a população civil.

Picardo explica que nas últimas semanas ele realizou reuniões e conversas com representantes da República do Irã para “tentar reduzir a tensão” e facilitar a liberação do navio-tanque “de acordo com o cumprimento de todos os requisitos legais”. 

Em 13 de agosto, disse o ministro-chefe, ele recebeu por escrito uma garantia da República Islâmica do Irã de que “se libertado, o destino de ‘Grace 1’ não seria uma entidade sujeita a sanções da União Européia”, assim como um pedido pedindo a liberação do petroleiro. 

Quando Picardo considera que com estas garantias já não há “bases razoáveis” para a detenção do navio, ele retirou as acusações, o que levou à decisão do Supremo Tribunal de Gibraltar de libertá-lo.

Esta decisão foi dificultada pelas alegações apresentadas pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos, que havia solicitado que um novo procedimento legal fosse iniciado para que o petroleiro continuasse detido. 

Também quatro da tripulação “Grace 1”, incluindo o capitão, que havia sido preso em 11 de julho, foram libertados. EFE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *