Conflitos Gaza

IDF mata gazans armados na fronteira israelense, com o pico de tensões

Tentativa de infiltração suspeita ocorre horas depois de três foguetes disparados contra o sul de Israel da Faixa, um dos quais atingiu uma casa em Sderot.

Forças israelenses mataram a tiros um grupo de palestinos armados ao longo da cerca de segurança da Faixa de Gaza na noite de sábado, horas depois de três foguetes terem sido disparados contra o sul de Israel do enclave costeiro.

O número exato de palestinos mortos durante a suspeita de infiltração não foi imediatamente conhecido. As agências de notícias de Gaza informaram que quatro ou cinco pessoas foram mortas na greve.

O Exército israelense disse que um helicóptero de ataque e um tanque foram usados ​​para matar os supostos terroristas enquanto eles se aproximavam da cerca.

“Há pouco tempo, as tropas da IDF avistaram suspeitos armados perto da cerca de segurança ao redor do norte da Faixa de Gaza. Um helicóptero de ataque da FDI e um tanque dispararam contra eles ”, disse o Exército em um comunicado.

Tropas israelenses também dispararam foguetes por toda a área para ajudar nos esforços para localizar os supostos terroristas.

Um porta-voz do Exército disse que não houve relatos de vítimas israelenses.

O Centro Palestino de Informação, ligado ao Hamas, disse que os homens estavam no lado de Gaza quando foram mortos, e que alguns dos corpos foram confiscados por Israel, citando fontes locais. Os relatórios não puderam ser confirmados.

A ala militar do Hamas, as Brigadas Izz ad-Din al-Qassam, disseram que Israel depois realizou ataques de artilharia a leste de Beit Lahia, no norte de Gaza, perto de onde os homens se aproximaram da cerca para entrar em Israel.

A mídia palestina informou que os homens eram membros da ala militar da Jihad Islâmica Islâmica apoiada pelo Irã, Saraya al-Quds. Isso não pôde ser confirmado imediatamente.

A tentativa suspeita de infiltração ocorreu quando a violência entre Israel e Gaza aumentou consideravelmente nas últimas três semanas.

No sábado à noite, as cidades de Berseba, Ashdod, Ofakim, Gan Yavne e Yavne abriram seus abrigos antiaéreos municipais antes dos esperados ataques de foguetes contra represálias. O serviço de ambulância Magen David Adom também disse que estava em alerta máximo.

Mais cedo na noite de sábado, terroristas palestinos na Faixa de Gaza dispararam três foguetes contra o sul de Israel, dois dos quais foram interceptados pelo sistema de defesa antimísseis Iron Dome, disseram os militares.

Fragmentos de um dos foguetes de Gaza atingiram o quintal de uma casa na cidade de Sderot, causando danos.

Não houve ferimentos físicos causados ​​pelo estilhaço em Sderot. Uma mulher recebeu tratamento médico depois que sofreu um ataque agudo de ansiedade por causa do impacto, disseram médicos.

Além disso, duas pessoas sofreram ferimentos leves enquanto corriam para abrigos antiaéreos, segundo o serviço de ambulâncias Magen David Adom. Em outros lugares, outras três pessoas foram tratadas por ataques agudos de ansiedade provocados pelos foguetes. Uma delas, uma mulher de 76 anos, precisou de hospitalização, disseram médicos.

Os estilhaços também desembarcaram dentro de uma comunidade na região de Sha’ar Hanegev, no sul de Israel, a nordeste de Gaza, sem causar feridos, disseram autoridades locais.

Foi a segunda noite seguida que as sirenes soaram em Sderot.

Na noite de sexta-feira, terroristas na Faixa dispararam pelo menos um foguete contra Israel, que foi interceptado pelo sistema de defesa do Iron Dome, disse a IDF.

Não houve relatos de ferimentos ou danos.

Em resposta, os militares israelenses atacaram dois locais subterrâneos pertencentes ao Hamas.

O disparo do foguete ocorreu depois que vários milhares de palestinos participaram de protestos na fronteira da Faixa de Gaza, na sexta-feira, com várias centenas de pedras e explosivos atirando nas tropas israelenses.

Soldados responderam com gás lacrimogêneo e fogo vivo ocasional. O Ministério da Saúde de Gaza, controlado pelo Hamas, disse que 16 palestinos foram feridos.

No ano passado, os palestinos realizaram marchas regulares na fronteira de Gaza, conhecida coletivamente como a Grande Marcha de Retorno. A primavera de 2019 viu um aumento dramático no nível de violência ao longo da fronteira de Gaza, com distúrbios noturnos e ataques aéreos, mas a violência diminuiu nas últimas semanas devido a um acordo de cessar-fogo entre Israel e o Hamas, governado por Gaza. grupo.

No entanto, nas últimas semanas também houve várias tentativas sérias de infiltração em Israel.

Em um período de 10 dias, seis terroristas palestinos armados – muitos deles atuais e ex-membros do Hamas – passaram pela cerca de segurança ao redor da Faixa de Gaza antes de serem mortos pelas tropas israelenses. Em um caso em 1º de agosto, o atirador abriu fogo contra soldados da IDF, ferindo três deles, antes de ser morto a tiros.

No último sábado, um grupo de quatro terroristas fortemente armados, portando rifles de assalto, lança-granadas e rações, tentou se infiltrar no território israelense antes de serem vistos e mortos pelas tropas na fronteira.

O grupo terrorista Hamas, que governa Gaza desde 2007, tem procurado se distanciar desses ataques, dizendo que eles foram executados por jovens revoltados.

O Hamas enviou tropas adicionais à fronteira em uma tentativa de impedir quebras na cerca da fronteira, entendendo que esses ataques entre países arriscam provocar uma resposta dura dos militares israelenses, de acordo com o canal de notícias palestino Amad.

One Reply to “IDF mata gazans armados na fronteira israelense, com o pico de tensões

  1. No Brasil existe uma expressão:’bandido bom é bandido morto’.
    Como o Hamas não pára de enviar terroristas suicidas contra Israel,talvez lá se diga que ‘terrorista bom é terrorista morto’.
    Nós,evangélicos cristãos,conhecendo o amor de Deus,não podemos dizer assim mas desta maneira diferente:’terrorista bom é terrorista convertido’.Isso porque,se ele se converter,largará o seu mau caminho.
    “Não tenho prazer na morte de ninguém,diz o SENHOR Deus.Portanto,convertei-vos e vivei”(Ez 18.32).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *