IDF Terrorismo

IDF se prepara para demolir casas dos suspeitos de assassinato de Dvir Sorek

Tropas medem estruturas na aldeia de Beit Kahil, no sul da Cisjordânia, como primeiro passo antes de sua destruição

As Forças de Defesa de Israel, durante a noite de domingo, começaram os preparativos para demolir as casas de dois palestinos suspeitos de esfaquear até a morte Dvir Sorek, israelense de 18 anos, na semana passada perto do assentamento de Migdal Oz na Cisjordânia.

Os militares disseram que suas tropas mediram as casas na aldeia palestina de Beit Kahil, no sul da Cisjordânia, para que os engenheiros possam planejar as melhores maneiras de demolir as estruturas.

Nenhuma data ainda foi marcada para a demolição.

O corpo de Sorek foi encontrado na madrugada de quinta-feira numa estrada que leva ao seminário religioso onde ele estudava em Migdal Oz, como parte de um programa que combina serviço militar com estudo judaico conhecido como hesder .

Tropas israelenses medem a casa de dois supostos terroristas acusados ​​de matar Dvir Sorek para demolição no sul da Cisjordânia em 12 de agosto de 2019. (Israel Defense Forces)

Os supostos terroristas fugiram do local após o ataque, levando as forças de segurança em uma busca de 48 horas antes de serem presos em Beit Kahil, aproximadamente às 3h de sábado.

As forças de segurança identificaram os dois suspeitos como Nasir Asafra, 24, e Qassem Asafra, 30. Embora as Forças de Defesa de Israel tenham dito que o ex-suspeito é membro do Hamas, nenhum deles teve prisões anteriores.

O irmão de Nasir, Akrama, e a esposa de Qassem, Ines, também foram presos no ataque. Um porta-voz da Shin Bet disse que as forças de segurança estavam investigando se os dois ajudaram os supostos assassinos a se  esconderem  após o ataque.

Um veículo pertencente a um dos suspeitos também foi confiscado na operação conjunta Shin Bet-Border Police-IDF. O exército disse que o carro foi “presumivelmente” usado no ataque.

O pai de Sorek, Yoav, agradeceu às forças de segurança israelenses no sábado à noite por seu rápido trabalho em capturar os suspeitos, mas disse em um comunicado que estava “desapontado por terem sido capturados vivos”.

Dvir Sorek, 18 anos, estudante de Ieshivá e soldado da FDI que foi encontrado morto a facadas fora de um assentamento na Cisjordânia em 8 de agosto de 2019 (Cortesia)

“Estamos contentes que Dvir, que Deus vingue seu sangue, não tenha visto os rostos de seus assassinos, e tentaremos não vê-los também, não agora e não no tribunal”, disse Yoav Sorek, usando um honorífico tradicional para Judeus que foram assassinados.

Ele acrescentou que as forças de segurança israelenses devem trabalhar para prevenir e impedir futuros ataques terroristas.

Israel diz que a prática de demolir as casas dos terroristas é um meio eficaz de desencorajar futuros ataques, embora tenha sido criticada por grupos de direitos humanos como uma forma de punição coletiva e por alguns analistas como uma medida de dissuasão ineficaz.

One Reply to “IDF se prepara para demolir casas dos suspeitos de assassinato de Dvir Sorek

  1. Demolir a casa dos assassinos,acho correto.Mas não acho correto conservá-los vivos.Devia-se fazer com eles,exatamente o mesmo que fizeram ao jovem a quem assassinaram de maneira brutal e covarde.
    E também acho que Israel deveria dar uma resposta duríssima aos palestinos.
    A ordem bíblica é “darás vida por vida”(Ex 21.23).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *