Irã

Em meio a ameaças israelenses, o Irã apregoa teste bem-sucedido de sistema de defesa antimísseis

O general diz que Teerã está “perfeitamente preparado para proteger instalações sensíveis e vitais” em todo o país

Esta foto divulgada na terça-feira, 12 de outubro de 2021, pelo Exército Iraniano, mostra um míssil sendo disparado durante um exercício militar em um local não revelado no Irã.  (Exército Iraniano via AP)

Esta foto divulgada na terça-feira, 12 de outubro de 2021, pelo Exército Iraniano, mostra um míssil sendo disparado durante um exercício militar em um local não revelado no Irã. (Exército Iraniano via AP)

TEERÃ – Os militares iranianos disseram na quarta-feira que testaram com sucesso defesas antimísseis para locais “sensíveis” durante jogos de guerra no centro do Irã, após advertências israelenses e americanas sobre seu programa nuclear.

“As defesas aéreas do país estão perfeitamente preparadas para proteger instalações sensíveis e vitais por meio de um sistema de defesa de várias camadas”, disse o general Amir-Qader Rahimzadeh, comandante da base aérea Hazrat Khatam al-Anbiya em Semnan, citado pela agência de notícias Fars.

Os exercícios, que começaram na terça-feira, combinaram o sistema de defesa “Majid” do exército com o sistema “Dezful” do Corpo da Guarda Revolucionária de elite para destruir mísseis de cruzeiro. A região central do Irã abriga a usina de enriquecimento de Natanz e outras instalações nucleares.

Os jogos de guerra ocorreram antes de uma visita ao Irã esperada na quinta-feira por um enviado da União Europeia que coordena as negociações sobre a revivificação de um conturbado acordo nuclear entre Teerã e grandes potências, incluindo os Estados Unidos.

“Uma defesa sólida e em várias camadas contra ataques de mísseis de cruzeiro era um dos objetivos dos exercícios de defesa aérea conjunta realizados com sucesso”, disse Rahimzadeh.

Esta foto divulgada na terça-feira, 12 de outubro de 2021, pelo Exército Iraniano, mostra um míssil sendo disparado durante um exercício militar em um local não revelado no Irã. (Exército Iraniano via AP)

Esses sistemas de defesa aérea estão a partir de agora “implantados em todo o país”, disse o chefe do ramo aeroespacial do Corpo de Guarda, Brigadeiro-General Amirali Hajizadeh. “Não tínhamos essa capacidade há 15 anos. Dependíamos de equipamentos estrangeiros para radar e sistemas solo-ar ”, disse ele.

Radares e sistemas de vigilância eletrônica também foram implantados nas operações, disse a agência de notícias estatal IRNA.

O enviado da UE Enrique Mora deve visitar o Irã com crescente pressão de países europeus, bem como do governo Biden, para uma rápida retomada das negociações sobre o retorno dos EUA ao acordo nuclear de 2015.

O Ministério das Relações Exteriores do Irã anunciou a missão de Mora ao país.

O secretário-geral adjunto e diretor político do Serviço Europeu de Ação Externa (SEAE), Enrique Mora, fala à mídia em frente ao ‘Grand Hotel Vienna’, onde as negociações nucleares a portas fechadas acontecem em Viena, Áustria, em 20 de junho de 2021. (Florian Schroetter / AP)

O acordo de 2015 deu ao Irã o alívio das sanções em troca de restrições ao seu programa nuclear, mas está em suporte vital desde 2018, quando o então presidente dos EUA, Donald Trump, retirou unilateralmente e impôs sanções paralisantes.

O Irã disse repetidamente que está pronto para retomar as negociações “em breve”.

Rob Malley, o negociador dos EUA que liderou as negociações indiretas com o Irã no início deste ano, disse em Washington na quarta-feira que o governo Biden preferia um retorno ao acordo de 2015.

Mas é possível que Teerã “escolha um caminho diferente”, e os EUA estão trabalhando com aliados regionais em um Plano B, disse ele.